Saúde e Medicamentos

                  

Saúde e Medicamentos

Saúde Animal Perguntas/Respostas 

Herpes Labial

O que é?

O herpes Labial é uma doença infecciosa, geralmente benigna, de origem viral. O agente causador é o Herpes Simplex Vírus- HSV tipo 1.

Quais os sintomas?

Caracteriza-se pela formação de vesículas em cacho nos lábios, boca, gengivas, palato, língua e zona em volta das narinas. Estas podem ser precedidas de sintomas como: vermelhidão, sensação de queimadura e comichão ou formigueiro. A ruptura das vesículas larga um exsudado e pode ser dolorosa. A infecção desaparece ao fim de 10 a 14 dias.

Uma vez curada a infecção, esta não é acompanhada da eliminação do vírus. Este fica latente nas terminações nervosas e reaparece várias vezes ao longo da vida desencadeado por vários fatores: Sol, vento, stresse, cansaço, febre, menstruação etc.

Como se transmite e como se evita?

O primeiro contacto pode ocorrer logo na infância, após, por exemplo, ter beijado uma pessoa infectada. O vírus passa através da pele para as terminações nervosas e permanece aí. Com o primeiro contacto não há, geralmente, sintomas.

O vírus transmite-se direta ou indiretamente através se superfícies contaminadas. Por isso na presença de lesões deve evitar-se: beijar, partilhar de objetos, tocar nas lesões.

A melhor maneira de evitar o aparecimento da infecção é através da prevenção, que se faz através do uso de hidratantes e cicatrizantes que mantém a integridade do epitélio labial.

Evolução:

Dia 1-2

Fase de Picadas

Sensação de dor, dormência ou inflamação.

Dia 2-3

Fase de Bolhas

Primeiro sinal visível: conjunto de pequenas bolhas.

Dia 4

Fase de Ulceração

As bolhas rompem-se e surge uma ulceração avermelhada. Fase mais dolorosa e de maior contágio.

Dia 5-8

Fase de Formação de Crosta

Forma-se uma crosta seca e acastanhada. Prurido e sensação de ardor com pequena hemorragia quando se rompe a crosta.

Dia 9-12

Fase de Cicatrização

A crosta desfaz-se.

Tratamento:

Antivíricos

Os medicamentos para o tratamento do herpes labial devem ser usados logo que aparecem os primeiros sintomas. Depois das vesículas rebentarem deve usar-se cicatrizantes e hidratantes que proporcionam uma cicatrização mais rápida e aliviam a dor. Os antivíricos não devem ser usados nesta fase.

Surgiu recentemente no mercado pensos hidrocoloides e pensos líquidos para o tratamento do herpes e suas lesões.

Composição:
  • Aciclovir 5% (50mg/g) em creme - Aplicar 5x dia durante pelo menos 5 dias.
  • Aciclovir + hidrocortisona 50+10mg/g de creme - Aplicar 5x dia durante pelo menos 5 dias.
  • Penciclovir 1% (10mg/g) em creme - Aplicar de 2 em 2 horas  nos primeiros sinais e durante 4 dias.
  • Tromantadina 1% (10mg/g) em gele - Aplicar 3x dia durante 5 dias.

Depois de aplicar deve-se lavar as mãos para prevenir que infecte outros locais da pele ou outras pessoas.

Efeitos secundários:

Ardor ou picada, vermelhidão, secura dos lábios e escamação da pele, raramente reacções alérgicas com inchaço.

Pensos hidrocolóides

Os pensos hidrocolóides são usados continuamente, durante o dia e noite, até a lesão estar completamente sarada.
A aplicação deverá ser cuidadosa para não tocar nas feridas, recorrendo a aplicadores próprios  e evitar o contagio de outras zonas do corpo. Quando o penso começa a descolar-se da pele está na hora de o substituir por outro.

Relativamente aos cremes os pensos têm algumas vantagens:

  • Disfarçam;
  • Protegem;
  • Reduzem risco de contágio;
  • Previnem o aparecimento de crostas.
Pensos líquidos de filmogel

Em contacto com o ar o filmogel forma uma película flexível protectora.  Esta camada promove a cicatrização, alivia a comichão, sensasão de picada e queimadura. Além disso, limita a contaminação e a formação de crostas.

Balsamos calmantes protectores

Existem, também, produtos que combinam o efeito calmante e cicatrizante de essências de certas plantas com propriedades hidratantes e protectoras de balsamos labiais. 

Composição: Lavandula angustifolia, Anthemis mobilis, Citrus limonum, Rheun palmatum, Salvia officinalis, Saponaria officinalis, Thymus vulgaris, Hamamelis virginiana, Melissa officinalis, Echinacea angustifolia, Propolis, etc

Voltar

Doenças Infeciosas
Hepatite
Meningite
SIDA
Vacinas
Varicela
Zona





Cuidados Corporais
Cabelo
Caspa
Celulite
Higiene oral
Pele Seca
Piolhos
Próteses dentárias
Queda de cabelo

Dermatologia
Acne
Afta
Calos
Dermatite
Diarreia
Frieiras
Hematomas
Herpes Labial
Micoses
Queimaduras
Varizes

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 18-out-2016