Saúde e Medicamentos

    Saúde e Medicamentos

Prevenção de acidentes

Como evitar intoxicações com medicamentos em crianças

Todos os dias ocorrem intoxicações de crianças com medicamentos esquecidos em casa à mão das crianças.  Mesmo estando vigilantes, basta uma pequena distração para a criança ingerir um medicamento ou outra substância tóxica com aspecto apelativo. Nestes casos é necessário agir rapidamente, ligando para o Centro de Informação Anti-venenos (CIAV), ou 112, antes mesmo de fazer qualquer coisa que possa ser prejudicial.

Como evitar?
  • Guardar os medicamentos após utilização nas embalagens originais e bem fechados;
  • Não dar a tomar medicamentos às escuras;
  • Não dar a tomar medicamentos sem indicação médica;
  • Evitar tomar medicamentos à frente das crianças, pois tendem a imitar tudo o que vêem e podem pensar que são doces;
  • Confirmar as doses dos medicamentos antes de dar às crianças;
  • Guardar os medicamentos e produtos tóxicos (produtos de limpeza, bebidas alcoólicas, pesticidas, etc.) fora do alcance das crianças em armários bem fechados à chave;
  • Entregar na farmácia os medicamentos fora de uso ou fora do prazo de validade;
  • Fazer notar à criança que o medicamento não é um doce;
  • Certificar que todos os produtos estão bem rolhados;
  • Ter sempre o número do CIAV á mão.
O que fazer em caso de intoxicação?
  • Manter a calma. Agir rapidamente. Procurar informação no produto suspeito;
  • Não fazer nada sem orientação de um técnico especializado. Nem sempre provocar o vómito, dar água ou leite é o procedimento adequado;
  • Ligar para o CIAV (808 250 143) ou 112  para pedir orientação;
  • Dirigir-se ao hospital mais próximo.

Contactos úteis:

CIAV (Centro de Informação Anti-venenos): 808 250 143
http://www.inem.pt
http://www.apsi.org.pt

Como evitar acidentes em crianças

As crianças são diferentes dos adultos. Têm a cabeça grande e pesada, o pescoço muito frágil, as pernas, braços e tronco mais pequenos. Além disso desconhecem o perigo. Por isso correm maior risco de quedas, afogamentos, queimaduras, intoxicações e lesões por atropelamento ou quando viajam de carro.

É fundamental saber como evitar os acidentes.

Quedas

São os acidentes mais frequentes em todas as idades com consequências graves, sobretudo se acontecem de alturas elevadas.

Para as evitar:

  • Não deixar o bebé sozinho em cima de uma cama ou sofá; 
  • Apertar sempre o cinto da espreguiçadeira, do carrinho de passeio ou da cadeirinha do carro;
  • Colocar limitadores de abertura nas Janelas e barreiras de proteção nas escadas;

 Ter a tenção que os brinquedos desarrumados provocam muitas quedas de crianças e adultos.

Afogamentos

O afogamento é a 2ª causa de morte nas crianças. É rápido, silencioso e pode acontecer em muito pouca água. Para o evitar deve-se ter alguns cuidados:

  • As crianças nunca devem ser deixadas sozinhas no banho;
  • Depois de utilizados os baldes, alguidares, a banheira e a piscina insuflável deve ser esvaziados;
  • As piscinas devem estar protegidas por uma vedação com portão de fecho automático;
  • Os poços devem estar tapados com uma tampa pesada;
  • Nadar em águas transparentes e pouco profundas usando braçadeiras;
  • Usar coletes salva-vidas quando andam de barco;
  • Os coletes e as braçadeiras devem ser adequados ao tamanho da criança;
  • Deve-se frequentar piscinas, praias e rios vigiados por nadador-salvador;
  • Vigiar ativamente as crianças e redobrar a atenção com crianças com necessidades especiais;
  • O adulto que estiver a vigiar crianças não deve beber álcool, pois pode interferir com o estado  de vigilância e capacidade de nadar.

O primeiro dia de férias e o final da tarde são os momentos em que acontecem mais afogamentos

O afogamento é silencioso. Quando cai à água a criança não esbraceja nem grita.

Comportamentos de segurança na água para as crianças
  • Não nadar sozinha;
  • Nadar paralelamente à margem;
  • Não mergulhar em pontões e zonas que não se conhece a profundidade;
  • Não embarcar em brincadeiras perigosas (submersão, empurrões, etc.);
  • Respeitar as instruções de segurança do nadador salvador.
Antes das férias deve:
  • Informar-se das condições de segurança do local;
  • Familiarizar-se coma sinalização de segurança do local;
  • Fazer um curso de suporte básico de vida se for para local não vigiado;
  • Certificar que quem toma conta das crianças está consciente das normas de segurança
Ao chegar ao local e férias deve:
  • Eliminar os perigos existentes: 
    • esvaziar baldes e banheiras;
    • esconder tampa da banheira;
    • trancar portas de acesso aos locais com água;
  • Estabelecer regras com as crianças para nadar ou brincar perto da água;
  • Ter um telefone para emergências e a morada de férias sempre à mão.

Em caso de afogamento ligar o:

Inicie a reanimação cardiovascular ou localize alguém que o faça.

Queimaduras

Provocam dor, sofrimento e deixam marcas para toda a vida. Mas é possível prevenir:

  • Os bebés e as crianças devem evitar a cozinha, o local mais perigoso da casa; 
  • Não se deve transportar nem tomar alimentos ou bebidas quentes com a criança ao colo;
  • A temperatura da água do banho deve ser sempre verificada antes de molhar o bebé;
  • A lareira deve estar protegida com um vidro isolante;
  • Os aquecedores devem estar regulados para uma temperatura média;
  • Aquecedores de gás ou infravermelhos (com resistências) podem pegar fogo à roupa das crianças pelo que deverão estar afastados destas;
  • Os fósforos, isqueiros e velas devem ser guardados fora do alcance das crianças;
  • Todas as tomadas devem ser protegidas para reduzir o risco de eletrocussão.
Intoxicações

Podem acontecer com medicamentos, produtos de limpeza ou de higiene. Para as evitar, alguns cuidados é preciso ter:

  • Guardar as embalagens de medicamentos num armário próprio e fora do alcance das crianças. Não guardar os medicamentos em gavetas ao nível das crianças;
  • Se transportar os medicamentos que está a tomar numa bolsa, esta não deve ser deixada ao alcance das crianças;
  • Guardar todos os produtos de limpeza na cozinha ou na dispensa, longe dos alimentos, num armário alto e bem fechado;
  • Nunca guardar produtos tóxicos ou corrosivos em garrafas de bebidas. Podem ser perigosos tanto para crianças como adultos;
  • Ao aplicar pesticidas nos trabalhos agrícolas as crianças não devem estar perto;
Asfixia

Tal como nos afogamentos a asfixia / sufocação exige uma atuação muito rápida para salvar a criança. Mas, antes de mais, há que prevenir:

  • Ter atenção às peças pequenas ou destacáveis de brinquedos e jogos, moedas e  outros objetos;
  • Guardar a caixa de costura num local seguro e utilizar com cuidado na presença das crianças;
  • Ter atenção que os laços, fitas compridas e balões vazios, nos presentes, podem asfixiar a criança;
  • Ter especial atenção a bolas de tamanho inferior a 4,5cm, pois podem tapar as vias respiratórias;
  • A criança deve comer sentada certos alimentos, como frutos secos, rebuçados rijos, pipocas e frutos com caroço e, se possível, partidos em pedaços pequenos;
  • A criança não deve usar fios, colares ao pescoço, cachecóis, camisolas com capuz ou capacete de bicicleta quando brincar em carrosséis, escorregas ou árvores, pois podem ficar presos e provocar estrangulamento.
Acidentes rodoviários

É na rua onde morrem mais crianças. Acontece com os acidentes automóveis, mas também como peões ou ciclistas. Por isso, com crianças há que redobrar a atenção:

  • Nos passeios a pé as crianças devem ir pela mão no lado de dentro do passeio ou da berma, se não houver passeio, e sempre de frente para os carros;
  • Para passear de noite as crianças devem ter roupas claras ou com material refletor. assim como os carrinhos de passeio devem ter refletores;
  • Para andar de bicicleta, adultos e crianças devem usar sempre capacete, mas também quando andam de patins, trotineta ou skate. O capacete deve estar homologado de acordo com a norma europeia e adequado ao tamanho da cabeça. Deve ficar bem preso e justo.
  • Em passeios e viagens de automóvel as crianças devem ir sempre em cadeirinhas adequadas à sua idade, tamanho e peso, corretamente instaladas. Mesmo nos trajetos curtos, dentro das localidades, devem ser utilizadas:
    • Até aos 3 ou 4 anos a cadeira do automóvel deve ser voltada para trás, pois é mais segura em caso de acidente;
    • A partir dos 3 ou 4 anos e 15 kg de peso já podem usar cadeira de apoio. O banco elevatório deve ser utilizado o mais tarde possível (8 ou 9 anos).
  • Nos transportes públicos o bebé deve ir no carrinho de passeio e na zona reservada paro o efeito, voltado para trás. Se não for possível deve ir ao colo encostada ao peito;
  • Quando se viaja de táxi a cadeira de apoio ou banco elevatório não são obrigatórios, mas convém colocar o cinto de segurança, tendo atenção que a faixa de segurança não pode ficar junto ao pescoço ou por baixo do braço.

Manter uma vigilância ativa sobre as crianças é fundamental mas pode falhar. Aliar a vigilância a ambientes seguros e utilização de equipamentos de proteção (cadeirinhas para o carro, capacetes, auxiliares de flutuação, barreiras de proteção nas escadas, etc.) é a forma mais eficaz de evitar acidentes.

Contactos úteis:

http://www.apsi.org.pt

tel.: 21 884 41 00

fax: 21 884 41 09

Voltar

 

Olhos e Ouvidos    
Conjuntivite
Olhos
Ouvidos

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 26-jan-2019