Saúde e Medicamentos

                  

Saúde e Medicamentos

Saúde Animal Perguntas/Respostas 

Tranquilizantes

Existem no mercado alguns medicamentos e suplementos com extratos de plantas que têm um efeito calmante, tranquilizante e/ou indutor do sono. Destinam-se a utilizações mais ou menos curtas e em situações menos graves de ansiedade , stress ou insónia.

Doxilamina

O que é

A doxilamina é um antihistamínico (antialérgico) que possui também efeitos sedantes marcados. É eficaz na redução do tempo de início do sono e no aumento da duração do mesmo.

Para que serve

É utilizado na dificuldade temporária em adormecer.

Como tomar

Para adultos (maiores de 18 anos) a dose habitual é de 12,5 a 25mg 30 minutos antes do deitar. Os jovens (menores de 18 anos) não devem tomar, salvo por indicação médica. Não é recomendável tomar este medicamento por longos períodos.

Efeitos indesejáveis

Os efeitos secundários em geral são leves e transitórios. Os mais frequentes são: Secura de boca, prisão de ventre, visão nublada, retenção urinária, sonolência residual no dia seguinte ao acordar, sensação de tonturas (vertigens), aumento da mucosidade dos brônquios.

Pouco frequentemente poderá ocorrer: Erupção da pele, baixa da pressão arterial acompanhada de tonturas e/ou sensação de desmaios ao assumir a posição de pé (hipotensão ortostática), inchaço dos tornozelos, pés ou dedos, sensação de fraqueza, confusão, visão dupla, zumbidos, náuseas, vómitos e diarreia.

Precauções

Não beber bebidas alcoólicas durante o tratamento.

Não se deve conduzir durante o tratamento. Pode diminuir as capacidades de atenção e de reação durante a utilização de máquinas máquinas ou ferramentas.

Não deve tomar

Em caso de alergia (hipersensibilidade) à doxilamina ou outro medicamento para a alergia.

Os doentes com: Asma, enfisema ou bronquite crónica, glaucoma, hipertrofia prostática, obstrução do colo vesical ou dificuldade em urinar não devem tomar este medicamento.

Grávidas ou mulheres a amamentar não devem tomar este medicamento.

Interações com outros medicamentos

O álcool e outros depressores do Sistema Nervoso Central (medicamentos para dormir, calmantes), aumentam o efeito sedante.

Os inibidores da monoamino oxidase (alguns medicamentos para a depressão e doença de Parkinson) prolongam e aumentam os efeitos secundários anticolinérgicos da doxilamina. (Secura de boca, prisão de ventre, visão nublada, retenção urinária). A administração simultânea com medicamentos anticolinérgicos pode aumentar os efeitos secundários anticolinérgicos.

Valeriana

O que é

A valeriana é uma planta herbácea com propriedades calmantes e tranquilizantes, eficaz na ansiedade e promotora do sono reparador.

Para que serve

Está indicada nas perturbações nervosas ligeiras (tensão nervosa, irritabilidade, stress, ansiedade ligeira, dificuldade de concentração) e dificuldade temporária em adormecer.

Valeriana L. é nome de um género de plantas herbáceas perenes nativas da Europa e norte da Ásia, mas distribuídas por todo o planeta. Chama-se Valeriana, por extensão, a qualquer espécie desse género. A Valeriana comum (Valeriana officinalis L.) produz inflorescências perfumadas e tem raízes grossas com odor característico e forte, das quais, adequadamente tratadas (maceradas, trituradas, dessecadas e acondicionadas), se preparam medicamentos fitoterapêuticos com efeito ansiolítico, tranquilizante e anticonvulsionante. A atividade sedativa resulta dos compostos sesquiterpénicos do seu óleo essencial.

Como tomar

Existem várias dosagens de extrato seco de valeriana, que vão desde 45mg/comprimido até 500mg/comprimido. De uma maneira geral deve-se tomar as dosagens mais baixas para o tratamento da ansiedade ligeira e reservar as mais altas para as dificuldades em adormecer.

Adultos e adolescentes de idade superior a 12 anos:
Ansiedade ligeira: 90mg a 500mg 3 vezes ao dia, às refeições.
Dificuldade em adormecer: 130 a 500mg 30 minutos antes de deitar, com uma dose adicional ao anoitecer, se necessário.

A dose máxima é de 2000mg/dia

Efeitos indesejáveis

Podem ocorrer sintomas gastrointestinais (náuseas, dores abdominais), embora muito raramente.

Precauções

Se não houver melhoras ou se piorar após duas semanas de tratamento, deve-se consultar um médico.

Não se deve utilizar a valeriana durante a gravidez ou aleitamento, dado que não existem dados relativos à sua utilização.

Não se deve tomar valeriana até duas horas antes da condução ou utilização de quaisquer ferramentas ou máquinas, uma vez que pode causar sonolência.

Não deve tomar

Em caso de alergia (hipersensibilidade) à substância.

Se houver história de doença hepática grave ou insuficiência hepática grave.

As crianças com idade inferior a 12 anos não devem tomar, pois não há experiência clínica de utilização neste grupo etário.

Interações com outros medicamentos

Pode aumentar os efeitos depressores a nível central do álcool.

Pode aumentar o efeito dos sedativos sintéticos.

Valeriana 150mg + Lúpulo 150mg + Passiflora 150mg

O que é

É a associação de várias plantas com efeito calmante e sedativo.

Para que serve

Calmante e sedativo

Lúpulo é uma liana europeia da espécie Humulus lupulus. É tradicionalmente usado, pelo seu sabor amargo e propriedades conservantes, junto com o malte, água e levedura no fabrico da cerveja.

O lupulino, pó que se desprende quando se sacodem os cones, contém uma essência rica em hidrocarbonetos terpénicos, que lhe confere ação sedativa e indutora do sono.

Como tomar

Como calmante a dosagem é de 1 comprimido 2 vezes ao dia antes das refeições. Para obter efeito sedativo a dose recomendada é de 2 comprimidos 30 minutos antes de deitar.

Efeitos indesejáveis

Podem ocorrer alguns efeitos gástricos como: flatulência e acidez gástrica passageira, náuseas, cólicas e taquicardia.

Não deve tomar

Em caso de alergia às substâncias. Durante a gravidez e/ou lactação e por crianças com idade inferior a 12 anos.

Interações com outros medicamentos

Pode potenciar o efeito sedativo de medicamentos calmantes sintéticos. O álcool pode aumentar o efeito sedante.

Valeriana + Passiflora + Melatonina

O que é

É a associação de duas substâncias naturais, com propriedades calmantes e indutoras do sono, à Melatonina que é o regulador do ritmo circadiano.

Para que serve

Regulador do sono

Passiflora L. é um género botânico com 500 espécies diferentes. São plantas trepadeiras: arbustos e herbáceas, conhecidas pelo fruto, o maracujá. É uma planta originária da América do Sul. O seu uso principal é na alimentação, no entanto também se recolhem algumas partes da planta com fins medicinais. As flores e as folhas contêm pequenas quantidades de alcalóides indólicos, flavonóides e esteróis que conferem uma ação sedativa, antiespasmódica e sedativa.

Como tomar

Existem várias formulações no mercado: comprimidos e spray.

  • A composição dos comprimidos é (por comprimido):
    Melatonina: 1,9mg
    Passiflora: 100mg
    Valeriana: 150mg

Deve-se tomar 1 comprimido 30 minutos antes de deitar. A toma deve ser feita à mesma hora, para regular o ritmo natural do sono.

  • O Spray tem a composição por dose (5 pulverizações) de:
    Melatonina: 1,9mg
    Passiflora: 20mg
    Valeriana: 30mg

A aplicação deve ser feita na zona sublingual, antes de deitar. Tem um efeito mais rápido, devido à rápida absorção. É ideal para utilizações S.O.S..

 

A Melatonina é produzida pelo nosso organismo e é responsável pelo ritmo circadiano.

O ritmo circadiano regula todos os ritmos do corpo humano, influenciando a digestão, o estado de vigília e sono, a renovação celular, controlo da temperatura corporal, etc.

Fatores como idade e o stress, entre outros, podem alterar os níveis desta hormona e afetar os ritmos de sono.

A melatonina é usada para tratamento de uma ampla gama de distúrbios:

  • Jet Lag;
  • Trabalho noturno;
  • Insónia primária;
  • Alterações no ciclo de vigília-sono;
  • Problemas do sono nos idosos;
  • Anomalias do desenvolvimento neurológico.

Voltar

Doenças Infeciosas
Hepatite
Meningite
SIDA
Vacinas
Varicela
Zona





Cuidados Corporais
Cabelo
Caspa
Celulite
Higiene oral
Pele Seca
Piolhos
Próteses dentárias
Queda de cabelo

Dermatologia
Acne
Afta
Calos
Dermatite
Diarreia
Frieiras
Hematomas
Herpes Labial
Micoses
Queimaduras
Varizes

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 18-out-2016