Para quê dormir?

O sono é regulado por um relógio biológico. O principal regulador é a melatonina, uma hormona produzida pela glândula pineal do cérebro. Esse relógio é moldado geneticamente e depende de fatores externos, como luz, ruídos, odores, vida social, etc. Quando a hormona é libertada provoca no organismo reações que se traduzem, por exemplo, no abaixamento da temperatura corporal e da pressão arterial.

O desempenho físico e mental estão diretamente ligados ao descanso do sono. O resultado de uma noite em claro resulta em coordenação motora e raciocínio afetados. Durante o sono profundo, muitas proteínas são sintetizadas para manter ou expandir as ligações dos neurónios, que estão ligados à memória e aprendizagem.

Fases do sono

Durante uma noite de sono o organismo passa por diferentes fases do sono que se repetem algumas vezes durante as horas de sono.

1ª fase

Adormecer. Pode durar até 15 minutos.

2ª fase

Sono leve. Nesta fase a temperatura corporal, as ondas cerebrais, o ritmo cardíaco e respiratório diminuem. Pode durar até 20 minutos.

3ª fase

Início do sono profundo. As ondas cerebrais são grandes e lentas. Cada ciclo dura cerca de 10 minutos.

4ª fase

Sono profundo. Fase de inconsciência. Nesta fase o corpo recupera do cansaço diário. É durante esta fase que se produzem as hormonas do crescimento e se recuperam as células e os órgãos. Dura cerca de 55 minutos.

Sono REM

A atividade cerebral é muito intensa e desencadeia o processo de formação dos sonhos. Os músculos  ficam paralisados, a frequência cardíaca e respiratória aumenta e a tensão arterial sobe. Nesta fase o cérebro filtra a informação captada durante o dia. Dura cerca de 10 minutos. Passado este tempo retoma-se o sono calmo.

Durante uma noite de sono percorre-se 4 a 5 vezes o circuito do sono.

Importância do sono na saúde

Enquanto se dorme o organismo continua a trabalhar na recuperação:

  • Ocorre a libertação de hormonas. Na infância 90% das hormonas de crescimento são libertadas durante o sono.
  • Elimina o stress. A cortisona libertada em situações de stress é eliminada durante o sono.
  • Garante vigor físico. A hormona de crescimento evita a flacidez muscular e promove o vigor físico.
  • Aumenta a imunidade. Produz substâncias que defendem contra os vírus e bactérias.
  • Controla o apetite.
  • Elimina radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento.
  • Melhora a memória.

Insónia e sonolência excessiva

Os problemas relacionados com o sono mais comuns são a insónia e a sonolência excessiva durante o dia. A primeira consiste na dificuldade em adormecer ou em continuar a dormir, despertar cedo ou alteração na qualidade do sono parecendo insuficiente. A sonolência excessiva refere-se a pessoas anormalmente sonolentas durante o dia.

Cerca de 10% dos adultos sofre de insónia crónica e 30 a 50% de insónia passageira. Quando o sono é afetado, as pessoas ficam sonolentas, cansadas e irritadas durante o dia, têm dificuldade em trabalhar e concentrar-se e podem adormecer durante o trabalho ou ao volante.

Tipos de insónia:

Dificuldade em adormecer, por alterações do relógio interno, ligados ao ritmo circadiano, desfasamento dos horários por trabalho por turnos.

Dificuldade em permanecer a dormir e acordar mais cedo do que desejado. A dificuldade em permanecer a dormir é mais comum nas pessoas de mais idade. Pode acontecer em pessoas que usam certos medicamentos, álcool, cafeína ou tabaco. Pode, também ser um sinal de depressão.

Causas da insónia
  • Maus hábitos de sono, beber bebidas estimulantes à noite, fazer exercício físico tarde ou ter horários irregulares;
  • Problemas de saúde mental, estados de humor, ansiedade e abuso de substâncias;
  • Problemas cardíacos e pulmonares, doenças crónicas que afetam os músculos e ossos;
  • Stress;
  • Preocupações

Fazer pequenas sestas durante o dia podem tornar mais difícil o dormir da próxima noite

A sonolência excessiva pode ser causada por:
  • Sono insuficiente;
  • Apneia do sono;
  • Doenças mentais, cerebrais ou neurológicas, depressão ou ansiedade;
  • Perturbações do ritmo circadiano, causadas pelo fuso horário e trabalho por turnos.

Os medicamentos, quando utilizados por um longo período de tempo ou quando interrompidos (abstinência), podem causar insónia e sonolência excessiva. Muitas drogas que alteram a mente (psicoativas) podem causar movimentos anormais durante o sono e podem perturbar o sono.

Sinais de alerta

Alguns sintomas são motivos de preocupação:

  • Adormecer ao conduzir ou durante outras situações potencialmente perigosas;
  • Adormecer frequentemente sem aviso;
  • Parar a respiração durante o sono ou acordar com dificuldade para respirar ou asfixia;
  • Mover-se violentamente durante o sono;
  • Sonambulismo;
  • Um problema cardíaco ou pulmonar que muda constantemente;
  • Contínuos ataques de fraqueza;
  • Um recente acidente vascular cerebral;
Quando consultar um médico

As pessoas devem consultar um médico se apresentarem sinais de alerta ou se os seus sintomas relacionados ao sono interferirem com suas atividades diárias.

As pessoas saudáveis com sintomas de curta duração podem tentar implementar mudanças de comportamento para melhorar a qualidade do sono ou recorrer a alguns medicamentos de venda livre para a insónia

Tranquilizantes

 

 

Dependências Lazer
Álcool
Drogas
Tabaco








Repelentes de Insetos
Sol/Protetores
Viagens








Vida e Saúde Medicamentos Alternativos
Animais domésticos
Auto-medicação
Bebé
Contraceptivos
Emagrecer
Impotência Sexual
Menopausa
Vacinas
Acupuntura
Chá
Fitoterapia
Homeopatia

Naturopatia
Osteopatia
Quiropráxia
Tisanas

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 07-jan-2018