AlergiasCalendário Polínico

Asma

A asma é uma doença dos brônquios, na qual estes, por ação de estímulos muito diversos ( alérgicos ou irritantes) , se contraem subitamente de forma mais ou menos intensa mas habitualmente temporária.

Se os doentes são muito sensíveis e a doença não é tratada adequadamente instala-se uma inflamação permanente dos brônquios.

Estas alterações vão traduzir-se pelos seguintes sintomas:

  • Tosse;
  • Sensação de aperto no peito;
  • Ruídos agudos ao respirar ( pieira ou "chiadeira");
  • Crises de dificuldade respiratória, por vezes muito intensas.

Habitualmente é fácil de reconhecer a doença por este conjunto de sintomas característicos, mas por vezes os doentes podem ter só tosse, sobretudo durante a noite, ou só aperto no peito quando fazem esforços e assim torna-se mais difícil fazer o diagnóstico. Estes sintomas podem aparecer só de vez em quando (ASMA INTERMITENTE) ou serem quase diários (ASMA PERSISTENTE), com intensidade variável: ligeira, moderados e grave.

O que desencadeia as crises de asma?

As crises de asma podem resultar da ação de:

Fatores específicos

Há uma grande variedade de substâncias (alergenos) que podem produzir sintomas nos asmáticos e são inofensivos para as pessoas que não são alérgicas. As mais frequentes são os ácaros do pó, pêlos de animais, pólens de algumas plantas, bolores e substâncias inaladas em certas profissões.

Fatores inespecíficos

O exercício, a poluição atmosférica, o fumo de cigarro, o ar frio, as infecções respiratórias e alguns medicamentos ( ex.: aspirina) podem ser responsáveis pelo desencadear de crises nos doentes alérgicos, e nos não alérgicos são as únicas causas da doença.

Fatores de risco da DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica)
  • Fumar;
  • Poluição atmosférica;4Infecções respiratórias;
  • Má qualidade do ar em casa;
  • Fumar durante a gravidez.
Avaliação da Doença para ser instituído o tratamento adequado

Para isso é necessário recorrer a uma consulta da especialidade. aonde serão feitas algumas provas:

  • TESTES CUTÂNEOS,

com diversas substâncias ( alergenos) para determinar qual é a alergia;

  • MEDIÇÃO DO FLUXO DE AR,

com um aparelho muito simples. que o doente até pode executar em casa, e que serve para medir o grau de obstrução dos brônquios;

  • PROVAS FUNCIONAIS RESPIRATÓRIAS, um pouco mais complexas;

 

  • EXAMES DE SANGUE E EXAMES RADIOLÓGICOS, quando necessário.

 

Em certos casos PROVAS DE PROVOCAÇÃO. que consistem na inalação de uma determinada substância. que se suspeita causar asma.

O doente deve saber que a medida mais importante no tratamento da asma alérgica é EVITAR O ALERGENO que é a causa de todos os fatores que vão desencadear a crise. Por vezes é possível afastar completamente o alergeno ( por exemplo quando se trata de animais), outras vezes é necessário aplicar uma série de medidas para diminuir o seu contacto (como no caso de ácaros e pólens).

Páginas recomendadas: www.spaic.pt
  www.apa.org

Tratamento

Há dois tipos de medicamentos para a asma:
  1. MEDICAMENTOS PREVENTIVOS (ANTI-INFLAMATÓRIOS)

Como o seu nome indica destinam-se a evitar o aparecimento de crises, combatendo a inflamação dos brônquios. Os medicamentos mais eficazes deste tipo São os corticosteróides. Atualmente existem corticosteróides para aplicar por via inalatória (beclometasona, budesonido, flunisolido e fluticasona), que São muito ativos e desprovidos de efeitos graves no resto do organismo, que acontecem quando se utiliza avia oral ou injetável. Outros medicamentos deste grupo São o cromoglicato dissódico e os anti-leucotrienos.

  1. MEDICAMENTOS SINTOMÁTICOS (BRONCODlLATADORES)

São os medicamentos que se utilizam para tratar as crises (agonistas-beta, anticolinérgicos e teofilinas). Deve-se preferir a aplicação por via inalatória porque, dado que vão atuar diretamente nos brônquios, as doses usadas são muito menores e não têm efeitos significativos no resto do organismo. Os doentes com asma mais grave poderão necessitar destes medicamentos diariamente, preferindo-se nesta situação os broncodilatadores de longa ação.

É extremamente importante para se conseguir a eficácia máxima dos fármacos administrados por via inalatória, que o doente conheça bem o funcionamento do dispositivo que lhe foi prescrito (inalador pressurizado, turbohaler, diskus, rotadisk, aerohaler, rotahaler, etc.) e o use corretamente. Se tem dúvidas deve esclarecê-Ias com o seu médico ou farmacêutico. No caso dos inaladores pressurizados, a sua eficácia pode aumentar e a deposição do produto na garganta diminuir se for interposta uma câmara expansora. Existem vários tipos no mercado, algumas com máscara que abrange a boca e o nariz, que permite a administração destes fármacos a crianças muito pequenas. Outro aspecto importante quando se faz esta medicação é saber rigorosamente o dia em que deve ser substituído o dispositivo. O método mais fácil é anotar o dia de início, dividir o número total de doses pelo número de aplicações diárias e calcular o último dia de validade.

 

<<Alimentação, Asma e DPOC>>

PEAK FLOW METER

O grau de obstrução brônquica pode ser avaliado através de um pequeno aparelho portátil o peak flow meter que determina o débito expiratório máximo instantâneo (DEMI). Este valor é sempre medido nas consultas de especialidade, mas é útil que o doente saiba a sua importância como indicador de início de crise e que necessita de reajuste da sua medicação habitual, ou de crise mais grave que deve obrigar a procurar o médico ou recorrer a um serviço de urgência. O ideal seria que todos os doentes possuíssem um aparelho e o utilizassem sempre que pressintam que estão a começar a piorar. O seu uso é indispensável nos doentes que tem uma má percepção dos seus sintomas e que deixam a crise avançar sem tomar medidas adequadas. No futuro as farmácias estarão munidas destes aparelhos e os asmáticos poderão aí recorrer para medir o seu DEMI quando entenderem necessário. É obrigatório que saibam os seus valores habituais de DEMI quando estão bem.

IMUNOTERAPIA

As chamadas "vacinas" são o tratamento que se destina a modificar a resposta imunológica do doente ao agente causador da doença. Devem ser prescritas exclusivamente por médicos imunoalergologistas.

MANTER UMA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR

É aconselhável que o doente asmático pratique algum desporto. O melhor é a natação, mas em geral podem praticar-se todos com moderação, evitando aqueles que se realizam em condições ambientais desfavoráveis ( ex.: baixas temperaturas). Se o doente tem asma com o esforço, deverá tomar um fármaco protetor antes de iniciar o exercício.

Voltar

Dependências Lazer
Álcool
Drogas
Tabaco








Repelentes de Insetos
Sol/Protetores
Viagens








Vida e Saúde Medicamentos Alternativos
Animais domésticos
Auto-medicação
Bebé
Contraceptivos
Emagrecer
Impotência Sexual
Menopausa
Vacinas
Acupuntura
Chá
Fitoterapia
Homeopatia

Naturopatia
Osteopatia
Quiropráxia
Tisanas

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 07-jan-2018