Saúde e Medicamentos

Saúde Animal Perguntas/Respostas 

AlergiasCalendário Polínico

Asma

A asma é uma doença dos brônquios, na qual estes, por ação de estímulos muito diversos ( alérgicos ou irritantes) , se contraem subitamente de forma mais ou menos intensa mas habitualmente temporária.

Se os doentes são muito sensíveis e a doença não é tratada adequadamente instala-se uma inflamação permanente dos brônquios.

Estas alterações vão traduzir-se pelos seguintes sintomas:

  • Tosse;
  • Sensação de aperto no peito;
  • Ruídos agudos ao respirar ( pieira ou "chiadeira");
  • Crises de dificuldade respiratória, por vezes muito intensas.

Habitualmente é fácil de reconhecer a doença por este conjunto de sintomas característicos, mas por vezes os doentes podem ter só tosse, sobretudo durante a noite, ou só aperto no peito quando fazem esforços e assim torna-se mais difícil fazer o diagnóstico. Estes sintomas podem aparecer só de vez em quando (ASMA INTERMITENTE) ou serem quase diários (ASMA PERSISTENTE), com intensidade variável: ligeira, moderados e grave.

O que desencadeia as crises de asma?

As crises de asma podem resultar da ação de:

Fatores específicos

Há uma grande variedade de substâncias (alergenos) que podem produzir sintomas nos asmáticos e são inofensivos para as pessoas que não são alérgicas. As mais frequentes são os ácaros do pó, pêlos de animais, pólens de algumas plantas, bolores e substâncias inaladas em certas profissões.

Fatores inespecíficos

O exercício, a poluição atmosférica, o fumo de cigarro, o ar frio, as infecções respiratórias e alguns medicamentos ( ex.: aspirina) podem ser responsáveis pelo desencadear de crises nos doentes alérgicos, e nos não alérgicos são as únicas causas da doença.

Fatores de risco da DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica)
  • Fumar;
  • Poluição atmosférica;4Infecções respiratórias;
  • Má qualidade do ar em casa;
  • Fumar durante a gravidez.
Avaliação da Doença para ser instituído o tratamento adequado

Para isso é necessário recorrer a uma consulta da especialidade. aonde serão feitas algumas provas:

  • TESTES CUTÂNEOS,

com diversas substâncias ( alergenos) para determinar qual é a alergia;

  • MEDIÇÃO DO FLUXO DE AR,

com um aparelho muito simples. que o doente até pode executar em casa, e que serve para medir o grau de obstrução dos brônquios;

  • PROVAS FUNCIONAIS RESPIRATÓRIAS, um pouco mais complexas;

 

  • EXAMES DE SANGUE E EXAMES RADIOLÓGICOS, quando necessário.

 

Em certos casos PROVAS DE PROVOCAÇÃO. que consistem na inalação de uma determinada substância. que se suspeita causar asma.

O doente deve saber que a medida mais importante no tratamento da asma alérgica é EVITAR O ALERGENO que é a causa de todos os fatores que vão desencadear a crise. Por vezes é possível afastar completamente o alergeno ( por exemplo quando se trata de animais), outras vezes é necessário aplicar uma série de medidas para diminuir o seu contacto (como no caso de ácaros e pólens).

Páginas recomendadas: www.spaic.pt
  www.apa.org

Tratamento

Há dois tipos de medicamentos para a asma:
  1. MEDICAMENTOS PREVENTIVOS (ANTI-INFLAMATÓRIOS)

Como o seu nome indica destinam-se a evitar o aparecimento de crises, combatendo a inflamação dos brônquios. Os medicamentos mais eficazes deste tipo São os corticosteróides. Atualmente existem corticosteróides para aplicar por via inalatória (beclometasona, budesonido, flunisolido e fluticasona), que São muito ativos e desprovidos de efeitos graves no resto do organismo, que acontecem quando se utiliza avia oral ou injetável. Outros medicamentos deste grupo São o cromoglicato dissódico e os anti-leucotrienos.

  1. MEDICAMENTOS SINTOMÁTICOS (BRONCODlLATADORES)

São os medicamentos que se utilizam para tratar as crises (agonistas-beta, anticolinérgicos e teofilinas). Deve-se preferir a aplicação por via inalatória porque, dado que vão atuar diretamente nos brônquios, as doses usadas são muito menores e não têm efeitos significativos no resto do organismo. Os doentes com asma mais grave poderão necessitar destes medicamentos diariamente, preferindo-se nesta situação os broncodilatadores de longa ação.

É extremamente importante para se conseguir a eficácia máxima dos fármacos administrados por via inalatória, que o doente conheça bem o funcionamento do dispositivo que lhe foi prescrito (inalador pressurizado, turbohaler, diskus, rotadisk, aerohaler, rotahaler, etc.) e o use corretamente. Se tem dúvidas deve esclarecê-Ias com o seu médico ou farmacêutico. No caso dos inaladores pressurizados, a sua eficácia pode aumentar e a deposição do produto na garganta diminuir se for interposta uma câmara expansora. Existem vários tipos no mercado, algumas com máscara que abrange a boca e o nariz, que permite a administração destes fármacos a crianças muito pequenas. Outro aspecto importante quando se faz esta medicação é saber rigorosamente o dia em que deve ser substituído o dispositivo. O método mais fácil é anotar o dia de início, dividir o número total de doses pelo número de aplicações diárias e calcular o último dia de validade.

 

<<Alimentação Asma e DPOC>>

PEAK FLOW METER

O grau de obstrução brônquica pode ser avaliado através de um pequeno aparelho portátil o peak flow meter que determina o débito expiratório máximo instantâneo (DEMI). Este valor é sempre medido nas consultas de especialidade, mas é útil que o doente saiba a sua importância como indicador de início de crise e que necessita de reajuste da sua medicação habitual, ou de crise mais grave que deve obrigar a procurar o médico ou recorrer a um serviço de urgência. O ideal seria que todos os doentes possuíssem um aparelho e o utilizassem sempre que pressintam que estão a começar a piorar. O seu uso é indispensável nos doentes que tem uma má percepção dos seus sintomas e que deixam a crise avançar sem tomar medidas adequadas. No futuro as farmácias estarão munidas destes aparelhos e os asmáticos poderão aí recorrer para medir o seu DEMI quando entenderem necessário. É obrigatório que saibam os seus valores habituais de DEMI quando estão bem.

IMUNOTERAPIA

As chamadas "vacinas" são o tratamento que se destina a modificar a resposta imunológica do doente ao agente causador da doença. Devem ser prescritas exclusivamente por médicos imunoalergologistas.

MANTER UMA ATIVIDADE FÍSICA REGULAR

É aconselhável que o doente asmático pratique algum desporto. O melhor é a natação, mas em geral podem praticar-se todos com moderação, evitando aqueles que se realizam em condições ambientais desfavoráveis ( ex.: baixas temperaturas). Se o doente tem asma com o esforço, deverá tomar um fármaco protetor antes de iniciar o exercício.

Voltar

Doenças Infeciosas
Hepatite
Meningite
SIDA
Vacinas
Varicela
Zona





Cuidados Corporais
Cabelo
Caspa
Celulite
Higiene oral
Pele Seca
Piolhos
Próteses dentárias
Queda de cabelo

Dermatologia
Acne
Afta
Calos
Dermatite
Diarreia
Frieiras
Hematomas
Herpes Labial
Micoses
Queimaduras
Varizes

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 18-out-2016